Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

customizarmarciabiagioni: Modificações em calça apertadaNas fotos vc pode v...

customizarmarciabiagioni:
Modificações em calça apertadaNas fotos vc pode v...
: Modificações em calça apertada Nas fotos vc pode ver como foi feito o detalhe em retângulo para aumentar onde estava apertado. Deu um cha...

PESSOAS COM DEPRESSAO COTUMAM MELHORAR QUANDO FAZEM ALGUM ARTESANATO E A COSTURA É UM ÓTIMO MODO, POIS  A GENTE SE SANTO ÚTIL, REALIZADA E AINDA ECONOMIZA NA ROUPA QUE FICAR DO SEU GOSTO.

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

customizarmarciabiagioni: CUSTOMIZAR MÁRCIA BIAGIONI - A ARTE DE RESTAURAR R...

customizarmarciabiagioni: CUSTOMIZAR MÁRCIA BIAGIONI - A ARTE DE RESTAURAR R...: ISSO É PATWORK : JUNTAR PEDACINHOS DE PANO DESCARTAVEIS ,QUE SERIA JOGADO FORA E MÁRCIA FAZ LINDOS DESENHOS EM ROUPAS COM ELES PINT...

customizarmarciabiagioni: serviços de sucesso com rendas

customizarmarciabiagioni: serviços de sucesso com rendas: Detalhe em rendas trabalho lindo das rendeiras do nordeste desfiles no nordeste dando ênfase ás rendas

Projecto Anuea

BOA- página,esta  do PROJETO ANUEA pra quem curte yoga,mensagens,sem misturar religiões.E pra quem acha que yoga é coisa muito parada,saiba que ensina se  livrar da ansiedade e também,ao mesmo tempo ensina a relaxar.Não me pergunte como.Eu fiz e confirmei os 2 lados,relaxamento e ansiedade....tem que fazer pra ver.Escolha pessoas bem estudadas e treinadas.Cuidado com pessoas que dizem ser professores e não são.Procure provas e referencias com amigos ou em clubes.Qualquer dúvida ,fale primeiro com seu padre,bispo,lider espiritual,guru ou conselheiro particular....mordomo e treinador,vale tambem.Beijos e relax.


Projecto Anuea

Yoga foi uma das melhores coisas que fiz nestes tempos

sábado, 14 de setembro de 2013

A Depressão-As dicas-Como dormir bem?

Depressão pode ser originada por fatos específicos, como morte de uma pessoa querida ou doença, mas também pode resultar da soma de pequenos eventos que acontecem ao longo de nossa vida que não são completamente superados. Segundo a Wikipédia, estado depressivo diferencia-se do comportamento "triste" ou melancólico por ser uma condição duradoura de origem neurológica acompanhada de vários sintomas específicos. Ou seja, depressão e tristeza são coisas diferentes. A depressão é uma doença com diversos níveis e cada um exige um tratamento diferente. O nível mais grave é a depressão crônica grave, mas há medicamentos eficazes e várias formas de tratamento contra a depressão crônica, geralmente acompanhado por terapeutas e psiquiatras. Para driblar a depressão leve ou moderada, que surge de vez em quando, há muitas estratégias que você mesmo pode adotar, como exercícios físicos e uma alimentação balanceada. È importante
passar por uma consulta médica e, após um diagnóstico completo de depressão, definir junto com seu terapeuta qual o seu real quadro e o tratamento mais adequado para o seu nível de depressão. Pensando no seu bem-estar e para te ajudar na busca de mais alegria e satisfação no seu dia-a-dia, Seleções preparou para você algumas dicas de tratamento contra a depressão:
1. Mexa-se! Para depressão leve a moderada, exercícios físicos podem funcionar melhor do que antidepressivos. Não fique parado. Vários estudos já confirmaram que exercícios freqüentes podem ser um poderoso renovador de ânimo e ajudam você a tratar a depressão. Tudo de que você precisa são 20 minutos de exercícios aeróbicos 3 vezes por semana. Caminhar, erguer pesos, pular corda, andar de bicicleta - qualquer exercício funciona. 2. Alimentação X Depressão – O influência dos carboidratos no seu humor Se você está seguindo uma dieta com alto teor de proteínas, a falta de carboidratos pode estar contribuindo para a tristeza. Alimentos como frutas e legumes, feijões e grãos integrais ajudam o cérebro a produzir serotonina, substância que regula o humor. Coma peixe 3 vezes ou mais por semana. Pesquisadores finlandeses descobriram que as pessoas que comem peixe menos de 1 vez por semana têm incidência 31% maior de depressão leve a branda do que as que comem peixe com mais freqüência. Atum, salmão, sardinha e cavala são as melhores opções, pois são ricos em ácidos graxos ômega-3, essenciais para a função normal do cérebro. Há evidências de que influenciam a produção de serotonina. Se tiver o hábito de tomar café ou refrigerantes, reduza o consumo ou mesmo corte-os do cardápio. Pesquisas demonstram uma ligação da cafeína, que suprime a produção de serotonina, com a depressão. Nada de álcool. Embora vinho, cerveja ou outras bebidas possam inicialmente melhorar o ânimo, o álcool é na verdade um depressivo.
3. Coloque a tristeza no papel Registre seus sentimentos num diário - especialmente os sentimentos ruins, como ansiedade, tristeza, dor, medo, dúvidas, remorso etc. Pesquisas demonstram que o estado psicológico das pessoas que escrevem todos os dias durante 20 minutos sobre suas emoções mais dolorosas apresentam melhora impressionante depois de apenas 4 dias. Sente-se com uma folha de papel em branco à sua frente e escreva sem parar sobre o evento mais angustiante que já teve na vida. Não pense, apenas escreva. Isso ajuda a espantar a depressão! 4. A religião como tratamento para ansiedade e depressão Assista aos cultos da sua igreja ou templo. Um estudo com 4.000 pessoas da terceira idade revelou que as pessoas que freqüentavam regularmente serviços religiosos reduziam em 50% a probabilidade de ficarem deprimidas em comparação com aquelas que não freqüentavam.
5. Remédios naturais contra depressão Tome 300 mg de hipérico (erva-de-são-joão) três vezes por dia. Na antiga medicina popular, dizia-se que essa erva protegia contra as bruxas. Agora que as bruxas são mais ou menos coisa do passado, mais de 20 estudos científicos mostraram que a erva-de-são-joão ajuda a aliviar a depressão branda, possivelmente porque permite a produção de substâncias cerebrais entre as células nervosas, imitando a ação de alguns antidepressivos. Assim também: O mineral magnésio quelado é muito importante para restaurar e manter a saúde da função nervosa. O magnésio é um componente essencial na produção e no funcionamento da serotonina. Tome um suplemento de complexo B todas às manhãs, junto com a refeição Baixos níveis de vitaminas do complexxxo B foram associados com a depressão. Escolha uma marca com 50 microgramas de vitamina B12, 400 mg de ácido fólico e 50 mg de outras vitaminas B. É importante lembrar que os suplementos podem ajudar a aliviar a ansiedade e a depressão, mas você deve seguir corretamente as recomendações da bula.
Dicas para prevenir a depressão Durma bem Estudos mostraram que as pessoas que dormem menos de 8 horas, durante noites seguidas, tendem a apresentar índices menores de serotonina, substância que regula o humor e ajuda no combate da depressão, do que aquelas que têm noites de sono completas. Para garantir uma boa noite de sono, tente ir para cama à mesma hora todas as noites e se levantar à mesma hora todas as manhãs - mesmo nos finais de semana. Desligue a TV Pesquisas sugerem que quanto mais tempo você passa assistindo televisão, mais seu ânimo se abate e a depressão pode aparecer. Assistir horas seguidas de reprises, maratonas de filmes ou jogos pode parecer um bom recurso para aliviar o estresse e se divertir, mas estudos demonstraram que, ao contrário, as pessoas que vêem televisão por muito tempo normalmente apresentam sentimentos acentuados de isolamento. O mais importante: descobrir a causa da depressão Talvez você tenha tido uma experiência traumática. Ou talvez, sem razão aparente, você simplesmente se sinta triste e vazio. A depressão está normalmente ligada a uma combinação de fatores médicos, genéticos e ambientais. Existem 4 tipos: a depressão importante, na qual a baixa emocional é grave e dura mais que 2 semanas; a depressão leve, ou disritmia, que tem menos sintomas ou sintomas mais brandos; o distúrbio bipolar, que causa mudanças extremas do humor; e a depressão pós-parto. Quando é hora de procurar um terapeuta ou médico psiquiatra? Situações como divórcio, morte, mudança de casa ou de emprego podem causar sensação temporária de tristeza, pela vivência da perda ou pelos novos desafios a serem enfrentados. Quase todo mundo tem uma depressão leve em algum momento da vida. No entanto, se sua tristeza durar mais que duas semanas, ou se for acompanhada por alterações do sono e do apetite (comer e dormir muito ou não comer e nem dormir absolutamente), perda do interesse por sexo e redução da capacidade de contração, é possível que você precise de tratamento. Seu médico pode avaliar se você precisa de psicoterapia, medicação ou ambas.
5 Passos para Pensar Positivo A depressão é uma doença e deve ser tratada. Porém, o fato de nos sentirmos tristes, ansiosos ou constantemente de mau-humor não significa que estamos depressivos. Para estes dias, preparamos algumas dicas para acabar com o baixo-astral: 1. Encare os fatos sem medo. Conteste as crenças irracionais que abalam sua segurança. Se você pensa que todos estão rindo de você, exija evidências concretas. Será que realmente estão rindo? Será que não estão rindo de outra coisa? 2. Não tente ser perfeito. Isso é impossível - e você sabe disso. Então, por que se preocupar se alguém não gosta de você ou se não é hábil e competente em todas as situações? 3. Não pense automaticamente no pior ("Não passei no teste porque sou estúpido"). Normalmente existem muitas razões para as coisas não darem certo. Olhe para todas de forma objetiva e concentre-se naquelas que você pode mudar ("Da próxima vez, farei melhor se estudar mais"). 4. Seja mais confiante. Se a auto-análise revelar uma fraqueza pessoal, evite que as implicações monopolizem sua mente ("Não faço nada certo"). E lembre-se: reconhecer que você é fraco em uma área não faz de você uma pessoa fraca. Ao contrário, é uma forma de identificar onde investir mais esforço e redirecionar seu foco para os pontos fortes. 5. Liberte-se da necessidade de controlar tudo a sua volta. Inevitavelmente, as coisas nem sempre acontecem do seu jeito. Aceite o fato do mundo não estar sob seu controle e tente ficar calmo diante das adversidades. Desse modo, 2 problemas - o aborrecimento e sua reação a ele - ficam reduzidos a apenas 1. - See more at: http://www.selecoes.com.br/article/487#sthash.AuDQXYsM.dpuf

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

O que torna uma pessoa carente?

Para te ajudar a entender se a sua carência é passageira ou se é melhor procurar ajuda profissional, UOL Comportamento conversou com especialistas para conhecer os principais motivos que tornam uma pessoa carente. 1 – Baixa autoestima De acordo com Tommaso, o que está por trás do comportamento de alguém que se sente bem na presença do parceiro, mas sofre de carência na ausência dele, é a baixa autoestima. "É como se a pessoa buscasse no outro aquilo que não sente por si mesma. Ela acaba entrando em um processo de dependência muito grande", afirma o psicoterapeuta.
Segundo ele, problemas de autoestima acabam com o equilíbrio do relacionamento. "No início, quando ninguém tem certeza se a relação vai dar certo, é normal que haja medo. Isso, normalmente, é amenizado à medida que o envolvimento evolui. Mas as pessoas carentes têm os sentimentos de insegurança e medo de perda ainda mais fortes conforme a relação se fortalece", diz Tommaso. Como resultado do medo de tomar um fora a qualquer momento, a pessoa com baixa autoestima começa a cobrar mais o parceiro, a pressão aumenta, os pedidos de provas de amor são cada vez mais frequentes e ela se mostra excessivamente pegajosa e possessiva. "Ela revela a necessidade de uma atenção intensa que nunca conseguirá", diz Tommaso. Esse tipo de pessoa está sempre carente: quando não tem ninguém, sente-se assim por temer a solidão; quando tem, age desse modo por ter receio de perder o outro. "Para não tomar um fora, a pessoa tolera maus tratos, humilhações e se torna dependente do outro", afirma.
2 – Pais inseguros Em um lar onde as pessoas são autoconfiantes, a criança cresce com uma visão positiva sobre ela e sobre a vida. Do mesmo modo, uma família com pais inseguros pode criar filhos com problemas de autoestima e, consequentemente, carentes. "As crianças assimilam o que os pais fazem e os valores que têm. Pais inseguros, pessimistas e que se desentendem com frequência criam filhos pouco autoconfiantes e mais ciumentos. São crianças que dependem dos amiguinhos e que podem se tornar adultos que agem primeiro de modo extremamente submisso e, depois, com possessividade", afirma Tommaso.
3 – Pais inconstantes Segundo Ailton Amélio, quem tem propensão a ser carente pode ter sido uma criança criada por alguém inconstante. "Se a mãe um dia era carinhosa e, no outro, fria, a criança se torna ansiosa, pois nunca sabe se o outro estará presente ou não", diz. Na vida adulta, ela se torna insegura, ciumenta, possessiva e grudenta.
4 – Superproteção na infância Nem só de falta de carinho e atenção na infância é feita uma pessoa carente. De acordo com a psicanalista Luciana Saddi, mestre em Psicologia Clínica pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) e membro associado da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, o excesso de atenção também pode levar uma criança a ser carente quanto adulta. Segundo ela, é comum que quem foi superprotegido e mimado na infância exija muita atenção, algo com o qual sempre esteve acostumado. "Pessoas superprotegidas, sempre consideradas coitadinhas pela família, não foram estimuladas a acreditar que podem ser autossuficientes. Esperam e exigem muito dos relacionamentos", diz Luciana. Ampliar Veja 16 coisas que você precisa saber sobre as pessoas ciumentas17 fotos 1 / 17 Todo mundo sabe que sentir ciúme é uma das sensações mais amargas da vida. Afinal, quem é que nunca o experimentou, em menor ou maior intensidade? Em um nível muito alto, porém, o ciúme pode provocar vários danos à vida da pessoa. E ainda, segundo especialistas, ser bastante revelador. Confira, a seguir, algumas informações importantes sobre esse sentimento tão complexo. Por Heloísa Noronha, do UOL, em São Paulo Lumi Mae/UOL 5 – Rompimento traumático Há também fases de carência situacionais, com origens mais recentes e mais fáceis de serem superadas. Uma delas é consequência de um rompimento. "Alguns tipos de desfecho afetivo deixam a gente carente, mexem com o nosso amor próprio, que fica ferido depois de um fora. Mas, com o tempo ou um novo amor, você se renova", diz Tommaso.
6 – Situações de desemparo De acordo Luciana Saddi, a carência momentânea também pode surgir se a pessoa perde o emprego, recebe uma crítica muito violenta e inesperada ou sofre com a morte de alguém próximo. "Qualquer situação grave, que gere angústia, leva ao desamparo. E uma pessoa desamparada tem maior tendência a se sentir carente", afirma. 7 – Resquícios de um relacionamento Segundo Ailton Amélio, experiências afetivas anteriores podem tornar a pessoa carente. "Uma pessoa que costumava ser independente, mas vivenciou um relacionamento que estimulava a dependência e o abandono dos amigos, está sujeita a sofrer assim que houver o término", diz. Ampliar Seus relacionamentos não dão certo? Siga dez passos para mudar isso11 fotos 1 / 11 Há tempos você vem tentando engatar um namoro, mas suas expectativas são frustradas logo nos encontros iniciais? É possível que algumas de suas atitudes estejam espantando pretendentes. UOL Comportamento ouviu especialistas para saber quais as ações mais comuns que podem condenar um romance promissor ao fracasso e como fazer adaptações no jeito de ser para conquistar um amor. Por Heloísa Noronha, do UOL, em São Paulo Lumi Mae/UOL 8 – Personalidades A carência também pode ser um traço de personalidade. "Pessoas muito vorazes dificilmente se satisfazem na vida", diz Luciana. E esse desejo de querer sempre mais também acontece nos relacionamentos, onde há a tendência de se mostrar carente.
De acordo com Luciana, aqueles que se vitimizam também são fortes candidatos à carência. "São pessoas que gostam de se colocar em uma situação de maior sofrimento e costumam culpar sempre o outro por sua dor. É como se não fossem responsáveis por suas vidas", diz ela. Quando a carência exige ajuda Quando a origem da carência é um problema de autoestima, com origens no passado, decorrente da criação, o problema é mais sério e exige ajuda profissional. Quando é situacional, como um término de relacionamento, é possível sair dessa sozinho, com o tempo. "Uma dose de sofrimento e carência é natural e até saudável. Mas se durar demais e prejudicar a pessoa, é preciso procurar ajuda", diz Ailton Amélio. Quando a carência é uma característica constante, um comportamento repetido em todas as relações, também é preciso ficar atento. "Se você fica cada vez mais ansioso à medida que seu relacionamento avança, se tem fantasias decorrentes do medo de perder o outro, tendo ciúmes e fazendo coisas que não deveria para manter o outro, vale procurar ajuda psicológica", diz Tommaso.